Ele e ele, ela e ela, eles.

18maio10


Desde que o mundo é mundo existem homossexuais.
Até o meu querido Alexandre, O Grande, que estava à frente de um dos maiores impérios já existidos e que conquistou grande parte do mundo antigo, tinha relacionamentos sexuais com homens e mulheres. Existem gays desde que existe o preconceito.
Atualmente a coisa está mais aberta, saindo na mídia, em programas de televisão e em capas de revista. A nossa geração está muito mais aberta para o homossexualismo e acaba virando até uma espécie de modinha.
Não concordo e nem acho legal quando a pessoa fica com outras do mesmo sexo para provar algo para alguém ou por influências, para se enquadrar em certo grupo de amizades. O “certo” é quando fazem por si próprio, se arriscam e experimentam.
A experiência é diferente da modinha, é a pessoa sentir curiosidade e vontade, ir e ficar, fazer e ver. Se descobrir.
Este assunto é delicado, até pro próprio adolescente que está descobrindo ser algo diferente do que a sociedade impõe e para os pais, que cria os filhos com o pensamento comum de “Minha filha casando com um belo rapaz” e descobre de uma hora pra outra que vai ser diferente. Geralmente é difícil para todos aceitar o que é.
Não sou preconceituosa, não. Aliás, tenho até certo preconceito com quem o têm.
Claro, existem coisas que tem um limite. Não é muito agradável ver homem e homem se beijando em plena luz do dia, mas não é motivo para apedrejamento e nem xingamentos. Esta ação pode ser até uma forma de intervenção, para a geração passada se acostumarem com a idéia, que, diga-se de passagem, já passou da hora.
Sou a favor da busca do amor, ele sendo com pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto. A única coisa que deveríamos buscar nesta vida é a felicidade e se quem fizer seu coração bater mais forte, seus olhos brilharem e as pernas ficarem bambas é do mesmo sexo, não importa.
A gratificação de ouvir um “eu te amo” dele ou dela, quebrará todas as barreiras e trará a felicidade plena, te fará sentir completo.
O caminho pode ser mais difícil, mais não impossível. Enfrente-o!

Giovanna Arruda



6 Responses to “Ele e ele, ela e ela, eles.”

  1. [i]Sou a favor da busca do amor, ele sendo com pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto.[/i]
    Amor é amor, não importa o jeito. Adorei esse texto, é *-*

  2. 2 Dio.

    Eu não vejo tabu nessa coisas, só vejo falsos puritanos reclamando por ter a mente presa no século XVI.

  3. A história da modinha tá muito disseminada atualmente é fato. Mas seilá, acho mais digno quando você admira alguém (mesmo que seja do seu mesmo sexo) á tal ponto de querer manter um vínculo mais estreito com essa pessoa, seja esse vínculo sexual ou não.

  4. Não interessa o sexo da pessoa e sim a intensidade do amor ;D

  5. Na sociedade de hoje o amor já está se tornando banal… Todo mundo fica por ficar e coisas do tipo. O homossexualismo, como você disse, quase não passa de uma modinha. O que era pra ser uma geração “mente aberta”, virou uma geração “sperficial”.

    Ótimo texto.

  6. Amor é amor, não importa o jeito. +1


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: